• Silvia Marto

Dionísio- deus do vinho, das festividades e do prazer


Dionísio é filho do deus Zeus e da mortal Sêmele.


Sêmele era uma princesa virgem que foi fecundada por Zeus, engravidando de Dionísio.


Dionísio é o único deus grego que foi gerado por uma mortal. Com a morte de Sêmele durante a gravidez, Zeus tira seu filho do ventre materno e o gera em sua própria coxa.


Dionísio aprende a arte de semear a vinha, colher as uvas e produzir o vinho.


Hera, esposa de Zeus, sempre perseguiu Dionísio, mas este sempre triunfava diante dos perigos e inimigos. Dionísio foi o primeiro a estabelecer uma escola de música e em sua honra começaram as primeiras representações teatrais. Ele vive embriagado pelo seu vinho; como o vinho solta a língua e torna indiscretos os que o bebem, Dionísio representa a ruptura da censura de tudo o que impede a felicidade. O deus do vinho liberta o espírito, promove o êxtase e o entusiasmo; com seu cortejo leva alegria e felicidade por onde passa.


O que a força do arquétipo de Dionísio é capaz de mobilizar em nós? Ele é o deus que possibilita o estado alterado de consciência através de seu sagrado vinho, levando à conexão com o divino através da liberdade, amor e alegria. A ligação com a energia suprema pode ser feita sem sofrimento e dor, apesar destes sentimentos e sensações também fazerem parte da vida.


Dionísio vem nos mostrar que a vida pode ser vivida de forma prazerosa, sem preconceitos.


A festividade e o vinho representam a leveza diante da vida para que tudo possa se realizar.


Tudo depende do livre arbítrio e do equilíbrio de cada ser ao se utilizar dos recursos promovidos pela força dos arquétipos.


Silvia Marto

www.silviamarto.com.br

Destaque
Tags
Siga
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto
Postagens
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto
Pat logo4.png

Hélio Couto - Mitologia Analítica - Todos os direitos reservados