• Silvia Marto

Hades - deus do mundo avernal


Muitos acreditam que Hades é o deus do inferno, uma idéia errônea e equivocada.


Hades é o deus do submundo, do mundo avernal. O inferno fica abaixo do reino de Hades, e é denominado como Tártaro. Hades é filho de Cronos e Réia, irmão de Zeus e Poseidon.


Muitos o relacionam ao diabo, o que também não é verdadeiro.

Hades não era injusto, nem cruel, ele era impaciente, justo, forte, tendo também seu lado sombrio.


Na mitologia romana Hades é conhecido como Plutão. O nome Hades se refere ao deus e ao reino que ele governa.


Quando Cronos foi derrotado, o universo foi dividido entre Zeus, Poseidon e Hades.


Poseidon reina nos mares e oceanos, Zeus nos céus e Hades no mundo avernal.


Hades está ligado às pragas e desastres naturais o que lhe conferiu uma imagem temerosa, mas na mitologia o Herói se constrói baseado em desafios e provas, tanto Hera quanto Hades é que elaboram os desafios do caminho do herói.


Quando o humano vive uma situação de caos é que ele consegue evoluir em sua humanidade, reencontrando o caminho de sua reorganização na direção da iluminação.


Todo conflito bem elaborado que gera auto-conhecimento, leva à evolução.


Hades recebe os mortos em seu reino, e após o julgamento, eles são enviados para o Tártaro (inferno) ou para os Campos Elísios (paraíso).


Hades não condena os humanos, ele os julga de acordo com seus próprios atos.


Hades raptou a deusa Perséfone, filha da deusa Deméter, e tiveram uma filha, Macária, a deusa da boa morte.


Quando os mortos chegam ao submundo, são recebidos pelo barqueiro Caronte, que os leva pelo rio Aqueronte até o mundo inferior, onde três juízes os aguardam, Éaco, Radamanto e Minos.


Hades é um deus que fala pouco, as pessoas evitavam pronunciar seu nome, tamanho o medo que sentiam desse deus. Ele podia ser bastante impiedoso.


O significado de seu nome é "O Invisível". Ele possuia um elmo mágico que lhe conferia esse poder.


O significado de Plutão é "O Rico". Ele é dono e distribuidor das riquezas do subsolo. Hades é quem permite o desenvolvimento das sementes. Seu nome também aparece associado à deusa Deméter, os dois são celebrados nos Mistérios de Elêusis, onde se comemoram e reverenciam as colheitas e a fertilidade.


Hades teve uma amante chamada Mente, e quando Perséfone descobriu, a transformou em uma planta, a menta.


Hades não é o deus da morte, é o deus do pós-morte. Ele não é inimigo da humanidade, esse papel cabe a Cronos e Ares (o tempo e a guerra). Ele só deixou seu reino por duas vezes, uma para aptar Perséfone, e outra para ir ao Olimpo se curar de uma ferida provocada por Héracles.


É um deus solitário, mas se apaixonou perdidamente por Perséfone.


Hades tem uma aparência humana, tem o elmo que usou para derrotar Cronos, e Cérbero, seu cão fiel, guardião da entrada do inferno.


O temor que ele inspira está diretamente ligado com o medo pela responsabilidade dos nossos atos, do que seremos merecedores, do inferno ou do paraíso. Ele é implacável, uma vez julgado, não há conversa. Hades conduz a uma profunda reflexão com nosso mundo interior, com nosso lado sombrio, para que possamos fazer nossa redenção enquanto o tempo ainda está a nosso favor.


O objetivo é acolher e dominar os aspectos sombrios, para que a iluminação possa adentrar em nossas vidas. Através do amor puro, todo esse movimento se processa.


Silvia Marto

Mitoanalista

www.silviamarto.com.br

Destaque
Tags
Siga
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto
Postagens
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto

Hélio Couto - Mitologia Analítica - Todos os direitos reservados

Pat logo4.png