• Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto

Hélio Couto - Mitologia Analítica - Todos os direitos reservados

Pat logo4.png
Tags
Destaque

Hermes - O Mensageiro dos Deuses

11.12.2017

 

Hermes, filho de Zeus e da Ninfa Maia. Protetor da magia, dos viajantes, responsável pelas encruzilhadas dos caminhos que mudam de repente a vida de todos nós.

 

Mensageiro tanto dos deuses quanto das trevas, detentor de todas as informações.

 

Hermes é o mestre dos 4 elementos e ensinou aos homens a arte da adivinhação.

 

Aristóteles baseou o conceito da hermenêutica (ciência da interpretação), a partir das características de Hermes.  Ele também guia as almas dos mortos para o Reino de Hades.  Para os romanos ele é Mercúrio, e no sincretismo com a mitologia egípcia ele é Toth, de onde se cria Hermes Trimegisto, o três vezes grande. No sincretismo hindu seria Ganesha.

 

Hermes gerou muitos filhos com deusas, semideusas e mortais, dentre eles Hermafrodito, Pã e atribui-se a ele também a paternidade de Eros, o deus do amor. 

 

Segundo algumas versões da história, teve também romances com alguns homens.

 

Sua representação física é a de um jovem belo, veste uma túnica curta, tem um capacete com asas e também calça sandálias aladas, e em sua mão carrega o caduceu que foi doado por Apolo, seu irmão, a quem enganou diversas vezes; Apolo previu que Hermes se tornaria o mestre dos ladrões. 

 

Apolo exigiu que Hermes jurasse nunca mais enganá-lo, e em troca ele o tornaria rico, com habilidade para terminar tudo o que tivesse iniciado, desde que honestamente.  Hermes ganha de Apolo três virgens aladas que lhe ensinam a arte da adivinhação e que sempre dizem a verdade quando alimentadas com mel.

 

Viver o arquétipo de Hermes é estar sempre em movimento, com perspicácia, esperteza e liberdade. É saber caminhar entre as dimensões do consciente-inconsciente, entender que no decorrer do autodesenvolvimento os caminhos podem mudar, e transitar nessas mudanças sem o sofrimento do apego. 

 

Hermes pode nos tirar algo para que compreendamos qual a nossa capacidade de renovação.  Sendo também o deus da fertilidade, ele dá o sentido da continuidade. 

 

Hermes é o menos olímpico dos deuses, pois sempre gostou de se misturar aos mortais. Ele é o deus capaz de trazer os conteúdos da nossa sombra para a luz.  Ele é inspiração criativa, guiando a ideia certa para o momento certo, quando nos conectamos a ele.  Quando nos desviamos do caminho, ele nos faz lidar com o inconsciente através das neuroses e somatizações, que quando bem interpretadas podem nos reconduzir ao verdadeiro caminho. Ele é o deus que nos dá a mão no processo de individuação.

 

O caduceu de Mercúrio (Hermes), com as duas serpentes que simbolizam a doença e a cura, pois a serpente que envenena é a que possui o antídoto para promover a cura.

 

Conhecedor dos caminhos, Hermes é aquele que transmite toda ciência secreta.

 

Silvia Marto

www.mitologiaanalitica.com.br

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto

December 10, 2018

August 28, 2018

February 28, 2018

Please reload

Postagens