• Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto

Hélio Couto - Mitologia Analítica - Todos os direitos reservados

Pat logo4.png
Tags
Destaque

Eros - O deus do amor

28.08.2017

 

 

Eros é o deus do amor, filho de Afrodite e Ares.  Chegou a ser descrito por alguns poetas como o deus de olhos vendados que com seu arco e flecha poderia atingir qualquer ser humano, e assim, fazer com que esse ser se apaixonasse pela primeira pessoa que visse.

 

Eros vendado ou não, temos aqui a representação de que o amor é uma energia que flui no universo, e quando bem impulsionado, representado pelo arco e a flecha, simplesmente atinge seu alvo e se manifesta onde é recebido. Digamos que as flechas de Eros acertam aqueles que de alguma forma estão abertos para receber a energia do amor.  Eros vendado tanto pode representar a cegueira da paixão, como pode também representar o amor original que simplesmente ama a todos, indiscriminadamente, despojado de qualquer preconceito, está no ar, para todos que se conectarem a ele e estiverem livres para recebê-lo.

 

Hesíodo o descreve como o mais belo dos deuses que atinge os corações de mortais e imortais que ficam perdidos de amor.

 

Eros tem o poder de ordenar e unificar. Para os romanos, Eros é identificado com o Cupido, algumas vezes representado como um belo jovem alado; as asas também são representações de mobilidade e leveza, algo que se move pelo ar, o próprio amor. 

 

A imagem de Eros durante o Renascimento foi mantida como sendo um menino, lembrando a figura de um anjo. 

 

Na mitologia mais antiga acredita-se que Eros é anterior a Afrodite, mas em todas as versões de sua origem, Eros (Amor) é a força preponderante na ordem do universo.

 

No início era venerado na forma de uma pedra comum, demonstrando sua conexão com a origem do mundo. Posteriormente, a imagem que temos dele até os dias de hoje substituiu a pedra inicial.

 

Eros é a força primitiva da natureza, a união da harmonia e do poder criativo, o amor que a tudo gera e dá origem.

 

O arquétipo de Eros,  do Amor,  nos leva a assumir  o papel de organizadores  de nossa própria jornada, cada vez mais conscientes de nossas responsabilidades; o Amor tempera a Vida com Alegria, e quando nos permitimos receber,  sentir e pensar o Amor, tudo pode acontecer, se realizar, por isso o Amor é percebido como algo mágico que está no ar. 

 

Silvia Marto

Mitoanalista

www.silviamarto.com.br

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
  • Instagram Hélio Couto
  • Facebook Hélio Couto
  • Hélio Couto

December 10, 2018

August 28, 2018

February 28, 2018

Please reload

Postagens